Polícia Militar Deflagra greve no estado da Bahia por tempo indeterminado; Rui nega a greve

Polícia Militar Deflagra greve no estado da Bahia por tempo indeterminado; Rui nega a greve
08 outubro 22:06 2019 Imprimir

A polícia Militar da Bahia deflagrou greve no estado da Bahia nesta terça-feira (08), segundo informações veiculadas pelo movimento realizado no clube ADELBA.

“Esperamos que o governo sente e dialogue. O que nós queremos é apenas o diálogo. Se o Governo sentar e dialogar, tenha certeza que a categoria vai avançar. Enquanto não houver diálogo, não tem retorno aos trabalhos.
Esse tumulto não vai partir dos policiais. Nosso pessoal está aqui e a recomendação é vir para cá, para ficar seguro aqui. Recomendo que a população fique em casa, porque a irresponsabilidade neste momento é do Governo do Estado, em não querer negociar. são seis anos de tentativa de negociação”, disse.

Prisco ressaltou que a greve não é deflagrada imediatamente, pois acontece um movimento de segurança por segurança.

Entre as pautas dos Militares, estão: melhorias do Planserv, cumprimento do acordo de 2014, solução para os problemas do novo sistema RH, reforma do Estatuto, código de Ética; periculosidade; auxílio Alimentação; reajuste da CET; plano de Carreira; cumprimento de ordem judicial e isenção de ICMS para Aquisição de Arma de Fogo para PMs e BMs.

Rui nega greve da PM e acusa Prisco de movimento ‘político-partidário

O governador Rui Costa negou a possibilidade de greve de policiais militares na Bahia e descredibilizou o deputado estadual Soldado Prisco (PSC), que apareceu em vídeos incitando a categoria para o movimento paredista (veja aqui).

“A PM da Bahia demonstra seriedade e responsabilidade e não aceita a liderança de alguém, muito menos de um deputado, que quer fazer um movimento com viés político partidário, que em 2014 foi pego em áudios mandando tocar fogo em ônibus com criança”, bradou o chefe do Executivo baiano durante transmissão ao vivo do Papo Correria nesta terça-feira (8).

Durante a transmissão ele ainda afirmou que “a Bahia não quer ser ameaçada”. “Não quer ver deputado ou líder dizendo que vai tacar fogo em ônibus escolar. Chega. Já basta o que fizeram no Brasil”, disse o governador ao garantir que não existe risco de adesão em nenhum município do estado.

O petista ainda afirmou que o governo do estado tem estudado um novo modelo de promoções para os policias militares. “Mas vamos encontrar esse modelo ideal dialogando”, completou Rui Costa.

  Editorias: