Pesquisa mostra que a maioria é contra o retorno das aulas presenciais na Bahia

Pesquisa mostra que a maioria é contra o retorno das aulas presenciais na Bahia
21 julho 20:56 2021 Imprimir

Apesar do Governo da Bahia ter determinado o retorno das aulas, no formato híbrido (presencial e remoto) para a próxima segunda-feira, 26, grande parte dos alunos e professores da rede estadual de ensino tem se posicionado contra essa atitude, por entender que a pandemia do novo coronavírus ainda se encontra em estágio elevado e o processo de vacinação da população brasileira não foi concluído. Tal posicionamento também se verifica entre os estudantes do Centro Territorial De Educação Profissional do Médio Rio Das Contas (Cetep).

O resultado parcial de uma pesquisa online que vem sendo aplicada junto a esta comunidade estudantil, indica que a maioria dos alunos não concordam com a decisão governamental e estão inseguros quanto aos procedimentos a serem adotados sem a conclusão da vacinação e medidas mais eficazes de biossegurança. Diante disso os organizadores da consulta concluem que a retomada das atividades presenciais nas escolas, neste momento, além de ser um risco para alunos, também é para as familiares e profissionais da educação.

Na primeira parcial da pesquisa foram consultados 115 alunos, dos quais 54,8% asseguram que são contra o retorno das aulas presenciais antes que toda a comunidade escolar seja vacinada. 31,3% concordaram com a decisão do governo, enquanto 13,9% disseram que talvez admitam, embora não tenham assegurado.

No quesito da manutenção do ensino no modo remoto, 51,1% disseram que preferem assim, enquanto 35 % disseram “não” e 12,7% “talvez”. Entre os entrevistados, 21,1% disseram que são portadores de alguma comorbidade.

Ao serem perguntados se seus pais ou responsáveis são favoráveis ao retorno das aulas presenciais no atual estágio da pandemia, 43,5 % dos entrevistados disseram que “não”, 41,7% que “sim” e 13,9% que “talvez”. A pesquisa também indicou que 54,2% dos estudantes do Cetep não acreditam que a escola dará segurança sanitária que impeça a proliferação dos vírus nas salas de aula, banheiros, bebedouros e no transporte coletivo. Confira o gráfico do resultado parcial da pesquisa. (Giro Ipiaú)

  Matéria marcada como:
  Editorias: